Notícias

Vanessa Grazziotin defende criação de lei específica para o tráfico de pessoas

Publicada em 26/07/2014

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) defendeu nesta quarta-feira (13) a criação de uma lei específica sobre o tráfico de pessoas. Ela afirmou que a legislação brasileira sobre o assunto é incompleta e o país precisa ir além do Plano Nacional de Enfrentamento, que tem força de lei por ser um decreto presidencial assinado por vários ministros.

– A legislação brasileira é incompleta e até errada no que diz respeito à abordagem desse crime. O Código Penal brasileiro trata do tráfico de pessoas como o tráfico de mulheres para fins de exploração sexual – explicou.

Vanessa Grazziotin lembrou que não são somente as mulheres que estão sujeitas a exploração sexual e ao tráfico de pessoas, mas também homens e crianças. A senadora disse que o crime não é bem compreendido pela sociedade e que, em decorrência disso, existem dificuldades de investigação e são poucos os inquéritos e os processos iniciados por conta de denúncia de tráfico de pessoas.

– A partir do momento em que o governo, o Estado brasileiro, prestar mais atenção a esse crime e investigar e punir o tráfico de pessoas, os casos de exploração sexual, de trabalho escravo irão diminuir. Não tenho dúvida quanto a isso – disse.

Vanessa Grazziotin também relatou viagem que fez aos Estados Unidos, na semana passada, com a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), para tratar do assunto. Ela disse que a análise de duas realidades diferentes é produtiva para ambos os lados porque permite que os países aprendam medidas novas e reflitam em que pontos podem avançar.

A senadora disse que nos Estados Unidos existem muitos trabalhos em parceria com ONGs e sugeriu que o Brasil também adote esse tipo de parceria no combate a essa atividade “criminosa e degradante”.

Vanessa Grazziotin também sugeriu o debate a respeito da classificação do agenciamento da prostituição como uma espécie de tráfico de pessoas, já que neste tipo de crime não há, necessariamente, necessidade de transporte. Ela frisou que o tema é muito importante e deve promover constantes discussões no Senado.

– Estou quase convencida de que uma pessoa que viva de explorar o corpo alheio está promovendo o tráfico. Quem passa uma trouxinha de droga, esse é traficante; e quem comercializa o corpo de outrem, não estaria traficando pessoas? – indagou.

Fonte: Agência Senado

Multimídia

Confira aqui alguns vídeos, entrevistas e fotos que mostram o trabalho de Lídice da Mata e acompanhe seus passos.

Acessar Multimídia

Receba informativos por e-mail

Câmara dos Deputados – Praça dos Três Poderes

(61) 3215-5913 / 3215-3913 / 3215-1913 / 3215-2913 (fax)

Anexo IV - 9° andar, Gabinete 913
CEP 70160-900 - Brasília - DF

Escritório de Apoio Parlamentar

(71) 3036-4063 e 3240-3326

lidice@lidice.com.br

Rua Jacobina, 64. Salas 101/102, Edf.Empresarial Rio Vermelho
CEP 41940-160 Salvador - BA

Acompanhe nas redes sociais